quinta-feira, 26 de julho de 2018

INACREDITAVEL !! MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE AUMENTO SALARIAL A VOVÓ ADAMS


Integrantes do Ministério Público (MP) foram recebidos no Palácio do Planalto pela presidente 
do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Vovo Adams, que ocupa interinamente a 
Presidência da República no lugar do Vampirão; no pedido de audiência, o grupo do MP 
informou que entregaria uma nota técnica sobre prisões de condenados por tribunais de 
segunda instância, mas o assunto não foi sequer mencionado: o grupo preferiu pedir reajuste 
salarial.

247 - Integrantes do Ministério Público foram recebidos no Palácio do Planalto pela presidente do 
Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, que ocupa interinamente a Presidência da 
República. No pedido de audiência, o grupo do MP informou que entregaria uma nota técnica sobre 
prisões de condenados por tribunais de segunda instância, mas o assunto não foi sequer mencionado: 
o grupo preferiu pedir reajuste salarial.
"Na reunião, que durou poucos minutos, o grupo deixou um papel constando as reivindicações das 
entidades. Visivelmente irritada, a ministra ouviu o pedido, mas não conversou sobre o tema com os 
magistrados e membros do Ministério Público. Nos dois anos à frente do STF, Cármen Lúcia fez 
questão de não tratar dos pedidos de reajuste salarial da magistratura com o Executivo ou o 
Legislativo. Na visão dela, não é o momento político, nem econômico para tratar do assunto, diante 
da crise pela qual o país atravessa. Para a ministra, aumentar os gastos com a folha de pagamento dos 
juízes não é prioridade.
O ministro Dias Toffoli, que assumirá a presidência do STF em meados de setembro, tem visão 
diferente. Ele deve retomar o diálogo com os parlamentares para agilizar a tramitação do projeto de 
lei sobre o reajuste da categoria. A proposta está parada no Congresso Nacional. No entanto, juízes 
de integrantes do Ministério Público não quiseram aguardar a próxima gestão e tentaram, em vão, 
uma última cartada com Cármen Lúcia."

Nenhum comentário: