quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O CALOTE VEM AÍ ! ATÉ O AbESTADÃO SABE ...



Editorial do AbEstadão, em estado comatoso, de título "Dívida pública é
o grande risco (sic)", diz:


- Quando o próximo presidente assumir, em janeiro de 2019, a dívida
bruta do governo geral será bem SUPERIOR (ênfase minha - PHA) a 80%
do Produto Interno Bruto (PIB). Será muito difícil mudar essa
tendência, se a economia continuar em ritmo lento...


Noutro ponto do decrépito matutino se lê:

- De 2006 a 2014, a dívida bruta do governo oscilou entre o equivalente 
a 50% e 60% do PIB. Em dezembro de 2014, a dívida estava em 56% do 
PIB. Um ano depois, saltou para 65%, tocou os 70% no fim de 2016 e já 
está perto de 75% do PIB.

- A Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado Federal, calcula 

que a dívida continuará crescendo até o pico de 92% do PIB em 2013...

O respeitado analista Celso Ming, do próprio Estadão, diz no título que o
Governo  (sic) Temer promete mas não entrega.
E anuncia:
- Contas públicas ainda mais cambaleantes e, portanto, dívida bruta 
crescendo mais são por si só novas fontes de incerteza.
A propósito, o Conversa Afiada não tem incerteza nenhuma: se não der o
calote, o próximo presidente (provavelmente o Lula) não governará.
Para começo de conversa, não haverá condições morais para entregar aos
bancos e aos rentistas 80% de tudo o que brasileiro produz.

PHA
_____________________________________

TERESINA MANDA O PERFEITO (PREFEITO) IDIOTA BRASILEIRO A M......


Governador acusado de desviar R$ 5,5 mi não presenciou homenagem a 
Doria, promovida por vereador acusado de desviar R$ 22 mi; Teresina 
rejeita título.
Doria é recebido com protesto em Natal

 
Ato é contra concessão do título de cidadão natalense ao prefeito de 
São Paulo pela Câmara Municipal da capital potiguar 

NATAL — Após ser atingido por ovos em Salvador durante visita para receber honraria da prefeitura no dia 7, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a ser alvo de protesto no Nordeste.
Nesta quarta-feira, 16, um grupo de manifestantes protestou contra concessão do título de cidadão natalense ao tucano pela Câmara Municipal de Natal com cartazes e palavras de ordem.
O ato ocorreu nas dependências do Shopping Midway Mall, na zona leste de Natal, onde está sediado o Teatro Riachuelo, local da honraria.
Também foi alvo dos manifestantes o empresário Flávio Rocha, executivo do Grupo Guararapes, dono do shopping e do teatro. Rocha recebe a Medalha Frei Miguelinho, maior honraria concedida pela Câmara Municipal de Natal.
O título a Doria foi proposto pelo presidente afastado do Legislativo municipal, vereador Raniere Barbosa.
O parlamentar é acusado de desviar cerca de R$ 22 milhões da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) através de superfaturamento de contratos.
O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), foi convidado a participar da cerimônia, mas em decorrência da Operação Anteros, da qual foi alvo, desmarcou presença.
A operação foi deflagrada na terça-feira, 15, pela Polícia Federal e Procuradoria-Geral da República.
O governador é apontado como principal beneficiário de esquema de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa, enquanto presidiu a Casa de 2003 a 2010, na ordem de R$ 5,5 milhões.
A segurança no local foi reforçada e o acesso ao Teatro Riachuelo é liberada somente aos convidados do evento e jornalistas credenciados.
No dia 7, em Salvador, Doria foi atingido por ovos enquanto caminhava ao lado do prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto após receber título de cidadão soteropolitano.
Depois da experiência em Salvador, Doria recebe o prêmio em Natal em um teatro localizado dentro de um shopping em cerimônia somente para convidados.
PS do Viomundo: Robinson Faria é pai de Fabio Faria, o deputado federal casado com Patricia Abravanel, herdeira do SBT. Faria votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, uma facada nas costas do PT local. Ele agora tenta anular trecho de delação da JBS que o compromete com negociata no Rio Grande do Norte envolvendo propina de R$ 10 milhões.
Para isso, usa recado deixado pela esposa de Joesley Batista, a apresentadora Ticiana Villas Boas, no celular da filha de Silvio Santos: “Oi, Pati, sou eu, Tici. Estou ligando para você e mandando essa mensagem para te falar do meu apoio. Então, o que eu quero falar é que eu acho um absurdo isso tudo… que está acontecendo. Aquele jantar, imagina só, não tem nada a ver… do que falaram, foi um jantar normal, eu não vi nada de dinheiro, de nada que beirasse ser ilícito. Se você for chamada para depor ou tiver qualquer tipo de implicação para você, eu sou sua testemunha de defesa e vou deixar claramente que é um absurdo”.
Como se vê, o Brasil é um tremenda novela mexicana, único motivo pelo qual um lobista eleito prefeito de São Paulo se aventura a disputar o Planalto com menos de dois anos de experiência no Executivo.


Vereadores de Teresina rejeitam título de cidadania ao prefeito João Dória

por Hérlon Moraes, no Cidade Verde

A Câmara Municipal de Teresina rejeitou na manhã desta terça-feira (15) o título de cidadania teresinense ao prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB).
A proposta do vereador Luis André (PSL) foi derrubada, mesmo obtendo 18 votos a favor e 8 contra. Eram necessários 20 votos favoráveis. Foi registrada ainda uma abstenção. Dois vereadores, Joaquim do Arroz e Ítalo Barros, não estavam em plenário.
O parlamentar ainda tentou justificar a proposta ao defender que o município de Teresina tem feito termos de cooperação com São Paulo, como parcerias público-privadas na área da iluminação.
“O prefeito Firmino esteve em São Paulo no dia 8 de março assinando acordos de parcerias como de iluminação pública. Eu tenho certeza que credenciar pessoas como Dória como exemplo de gestão eficiente, com resultados, gastando pouco e fazendo muito, o povo de Teresina terá bons frutos”, disse Luis André ao defender a proposta.
O vereador Major Paulo Roberto se absteve de votar, mas declarou que era inaceitável dar um título de cidadania para uma pessoa que nunca pisou em Teresina. “Não fez obra nenhuma. Não tem nada que chame atenção de seu nome para os teresinenses, a não ser a candidatura do que ele faz em São Paulo. O vereador Luis André é nosso amigo, mas não tenho como votar. Como vou justificar ao meu eleitorado?”, questionou.
A vereadora Graça Amorim, que é da base de Firmino, disse que o regimento da Casa é claro ao firmar que título de cidadania só para quem tem trabalhos desenvolvidos na capital.
Já o tucano Edson Melo defendeu a proposta de Luis André e disse que o argumento de que Dória não fez nada por Teresina deixa a desejar. “A cidade não tem nada a perder se votar e conceder esse título. Vejo que tem uma conotação política, pois ele pode ser candidato a presidente, mas isso não tem nada a ver”, declarou.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Desgastado por denúncias e por Temer, Sindicato de Ladrões cogita mudar de nome


Cúpula do PMDB retomou as discussões para trocar o nome do partido 
para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), deixando de lado a 
nomenclatura "partido" e retomando o antigo nome da legenda que era 
utilizado durante a ditadura militar; proposta, avalizada por Michel 
Temer, tem como objetivo reduzir o desgaste sofrido pelo partido com 
as constantes denúncias de corrupção que envolvem a cúpula partidária 
e com o desgaste do próprio governo Temer, que é rejeitado por mais 
90% da população.

247 - A cúpula do PMDB retomou as discussões para trocar o nome do partido para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), deixando de lado a nomenclatura "partido" e retomando o antigo nome da legenda que era utilizado durante a ditadura militar.

A proposta, avalizada por Michel Temer, tem como objetivo reduzir o desgaste sofrido pelo partido com as constantes denúncias de corrupção que envolvem a cúpula partidária e com o desgaste do próprio governo Temer, que é rejeitado por mais 90% da população.
A direção do PMDB quer convocar uma convecção da legenda para discutir o assunto até o final de setembro.
A pressa é justificada pelo fato do PMDB querer usar a nova nomenclatura já nas eleições próximo ano. Além do PMDB, outras legendas como o DEM e o PEN, avaliam mudar de nome para tentar uma reconquista do eleitorado.
___________________________________
 

PIB - PERFEITO (PREFEITO) IDIOTA BRASILEIRO USA JATO DE AMIGO DE TEMER PARA FAZER CAMPANHA



Doria chega a Palmas no avião do escritório de Nélson Willians e é
recebido como candidato a presidente (Foto: Carlos Amastha/Facebook)


Jato usado por Doria para campanha é de advogado com contrato
milionário sem licitação no governo Temer.


por Joaquim de Carvalho


O avião utilizado pelo prefeito João Doria para ir a Palmas, no Tocantins,
pertence ao escritório de Nélson Willians, advogado com ligações muito
próximas de Michel Temer e o PMDB.
O escritório de Nélson Willians foi contratado, no ano passado, pela diretoria do
Porto de Santos, antigo feudo político de Temer, para arbitrar uma disputa com a
empresa Libra, uma das arrendatárias do porto para operações de contêineres,
ao qual a empresa estaria devendo R$ 2,3 bilhões.
Não houve licitação para a escolha do escritório e sua contratação chamou a
atenção também porque a Libra tem ligações com Temer.
Seus sócios doaram R$ 1 milhão para sua campanha a vice-presidente, em 2014.
Pelo de arbitragem, o escritório pode receber R$ 23 milhões, 1% do valor da
dívida.
A vinculação do escritório de Nélson Willians com os interesses de Temer
também passa pelo processo de impeachment que tirou Dilma Rousseff do
Palácio do Planalto.
Dois sócios de Nélson Willians prepararam o pedido de impeachment de Dilma
Rousseff que Alexandre Frota levou a Brasília em 2015 – Cunha recebeu, mas
colocou para votar outro pedido, o de Janaína Pachoal.
O avião do escritório de Nélson Willians também levou Frota para participar das
manifestações pró-impeachment de Dilma, no dia da votação.
No governo Temer, além do contrato milionário com o Porto de Santos, Nélson
Willians assinou contrato com o Banco do Brasil para administrar quase metade
da sua carteira de processos na Justiça, depois de uma disputa rumorosa, que
começou em 2014 e foi parar na polícia e no TCU, com a acusação de que o
escritório teria cometido fraude para somar pontos na licitação. Nélson na frente
do Learjet: voo de ida e volta no mesmo dia, em avião inferior, sai por R$ 43 mil
Em maio, outro avião do escritório, o Citation PR-ARA, foi usado para levar Doria
a Pirenópolis, em Goiás, no casamento da filha do governador Marconi Perillo. O
governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, acompanhou o prefeito.
Procurado pelo DCM, Nélson Willians confirmou que cedeu o avião a Doria, de
quem se diz advogado.
“Eu sou advogado e amigo dele há muito tempo e ele estava impossibilitado de
usar o avião dele hoje. Em emprestei e agora, quando eu precisar, uso o avião
dele, que é maior. A gente faz um banco de horas, isso é comum na aviação”,
afirmou.
O senhor é advogado de João Doria em que casos? “Sabe aquele de Campos de
Jordão (invasão de área pública)? Eu sou advogado dele nesse processo. Também
em processos trabalhistas, e em processos dele e da Bia (mulher de Doria)”,
disse.
Um voo de ida e volta entre São Paulo e Palmas em táxi aéreo está cotado a R$
43 mil reais (este é o preço do frete em um King Air, inferior ao Learjet, modelo
usado na viagem).
O compromisso de Doria em Palmas não era de interesse da prefeitura. Ele foi
para lá a convite do senador tucano Ataídes Oliveira, para participarem juntos
do 2.º Encontro Estadual do PSDB do Tocantins.
Em Palmas, Doria foi recebido por um grupo de pessoas com camisetas
anunciado a candidatura dele a presidente. Em ruas da cidade, foram vistas
faixas com mensagens como “Tocantins quer Doria presidente” e “O Brasil
precisa de gestão”.
A visita a Palmas faz parte de um circuito de viagens do prefeito. Ele também
vai ao Recife (PE), Vila Velha (ES), Campina Grande (PB), Aracaju (SE) e
Fortaleza (CE).
O que ele vai fazer nesses lugares? Campanha, claro — embora diga que o
motivo é outro –, no avião do amigo que conseguiu bons negócios no governo
Temer. Um sem licitação e outro com uma licitação em que o escritório de
Nélson Willians foi acusado de fraude. 



Advogado diz que é amigo e 
advogado de Doria, que o 
apresentou ao juiz Moro: ele e 
Doria trocariam horas de voo.













Nélson Willians frequenta os 
eventos do grupo Lide, onde foi 
fotografado ao lado de Doria e do 
juiz Sérgio Moro.

FRANGOTE E BARBICHA DA LAMA JATO FECHAM O CONGRESSO !!



Agridem a Língua e legislam! O 1/3 e o desafiador: Legislativo? Fecha! 

O Dallagnol, de mega-palestras (quanto cobra?), soma a arrogância à agressão
ao Padre Vieira: usa no plural o verbo da frase que tem 1/3 como sujeito.
Merece ir para a Academia das Letras e ser saudado pelo Ataulpho Merval, que 
não distingue "por que" de "porque"...
Ele e o "Carlos", o Santos Lima que desafiou a Dra. Dodge, acham-se no direito
de dizer ao Legislativo o que fazer.
Não interessa se se trate de um Legislativo de safados.
O importante aqui é observar que o "monstro" que o Sepúlveda Pertence criou
se tornou um Poder Paralelo.
Paralelo ao do Moro, que, num evento da Golpista JovemPan, interpelou a
presidente do Supremo sobre se o Lula irá para a cadeia na Primeira ou na
Segunda Instância.
Essa canoa precisa virar rápido e levar esses coxinhas para o lugar que
merecem.
Com salarios no limite do teto!

PHA
_______________________________

Rombo será de R$ 159 bi: o mercado exigiu!


Que 60 mil cargos o ladrão vai cortar?

"Temer não fecha o buraco do Meirelles" que o mercado tinha imposto ao
açougueiro do tal neolibelismo exatamente esse número - R$ 159 bilhões - que o
essa porra Jucá anunciou.
Com esse número os rentistas não têm nada a temer: não haverá aumento de
impostos e estará sempre preservada a grana para pagá-los e os bancos que os
sustentam!
Viva a República Federativa da Cloaca!
Só que isso não tem a menor chance de dar certo:

Líder do governo anuncia meta fiscal de R$ 159 
bi e corte de 60 mil cargos
 
O líder do governo no Senado, Romero Jucá (O CAJÚ), afirmou que a equipe econômica anuncia ainda nesta terça-feira (15) uma meta de deficit de R$ 159 bilhões para este ano e o próximo.
De acordo com o peemedebista, para chegar a este número, o Palácio do Planalto decidiu cortar 60 mil cargos públicos. "O governo está cortando 60 mil cargos públicos e uma série de outras medidas", afirmou.
Depois de uma série de impasses, o anúncio da nova meta deve acontecer na noite desta terça.
"Esse ano será fixado em R$159 bilhões e no próximo ano em R$ 159 bilhões", disse Jucá sobre a meta fiscal. Anteriormente, o governo havia fixado um deficit de R$ 139 bilhões para 2017.
Jucá descartou ainda a possibilidade de aumento de impostos. "Não vão ter novos impostos. O esforço foi exatamente de não criar novos impostos para não onerar a população", disse. "Está descartado todo novo imposto que seja votado este ano para valer no próximo ano."
De acordo com o líder do governo, o gesto de corte de cargos é "exatamente para dar o exemplo e cortar na carne".
_____________________________________

sábado, 12 de agosto de 2017

The Nation, escreve sobre a condenação de Lula: golpe de um judiciário corrupto


O original da matéria no The Nation está aqui.

Revista The Nation dos EUA diz que elite quer acabar com Lula e que 
ele foi condenado sem provas

No site Falando Verdades

O site da revista americana The Nation publicou uma matéria sobre Lula. “A elite tradicional quer destruí-lo de qualquer maneira”, diz o texto.
“O ex-presidente do Brasil, Lula, enfrenta o sexto julgamento por corrupção”, afirmou a manchete da Reuters na semana passada. Para quase todos os consumidores da mídia internacional, era tudo o que precisavam saber. Combinado com o relatório da sentença em 12 de julho, poucos teriam dúvidas quanto à sua culpa.
Lula da Silva, um dos presidentes mais populares da história brasileira, deixou o mandato com uma aprovação de 80%. Ele também está na liderança para as eleições presidenciais do próximo ano. Claramente, seus oponentes – incluída a maioria dos principais meios de comunicação no Brasil – gostariam de tirá-lo do jogo.
É isso que essas acusações são? Vale a pena examinar a evidência no caso em que Lula foi sentenciado.
Lula é acusado de aceitar um suborno, sob a forma de um apartamento, da construtora brasileira OEA. A empresa comprou um prédio onde Lula estava fazendo pagamentos em um apartamento barato (cerca de US$ 67.000) para o proprietário anterior.
De acordo com o processo, a OEA remodelou um apartamento muito maior, no valor de cerca de US $ 843 mil quando terminado, e ofereceu-o a Lula pelo preço de seu apartamento original.
Quase todas as provas contra Lula são da delação de um criminoso condenado, José Adelmário Pinheiro Filho.
A primeira coisa que cheira mal é que quase todas as evidências contra Lula são dos testemunhos de Pinheiro Filho. Ele é um ex-executivo da OEA que foi um peça chave na Lava Jato.
O escândalo envolve uma corrupção maciça na Petrobras, na qual propina foi paga pelas empresas de construção para receber contratos a preços inflacionados.
Pinheiro obteve mais de 80% de sua pena de prisão de 16 anos eliminada em troca de seu depoimento contra Lula.
Claro que houve muitos julgamentos nos Estados Unidos e em outros países em que, por exemplo, um chefe da mafia ou do tráfico é condenado com a ajuda de delação de alguém mais abaixo da cadeia alimentar.
Mas, em tais casos, normalmente esperamos ver algumas provas corroborantes sérias de que o réu cometeu o crime como alegado pela testemunha criminal – talvez documentos, testemunhas oculares ou evidências físicas. No caso contra Lula, pesquisa-se em vão no documento de sentença de 238 páginas em busca de tal evidência.
Além disso, no sistema legal do Brasil, o juiz do caso, Sergio Moro, é também o promotor. Não apenas isso, mas ele é autorizado a manter as pessoas na prisão até que elas falem.
(…)

Postiço dá calote em deputados que votaram a seu favor na Câmara



Caloteiro

Ancelmo Gois conta no Globo que Michel Temer está dando calote nos picaretas
que contratou para votar contra sua denúncia na Câmara.
 É sério. Temer ainda não pagou o que prometeu aos deputados da base para que 
votassem contra o pedido da Procuradoria Geral da República de abrir processo 
contra ele. Esta turma credora não é, digamos, muito de perdoar dívidas.
____________________________________

LULA AO JUIZECO: LARGUE A TOGA E VÁ SER DEPUTADO

bessinha.jpg
 
"Nenhum juiz tem o direito de contar mentiras 
a meu respeito e dizer que eu roubei"

Durante o ato em defesa do Estado Democrático de Direito, realizado na noite desta sexta-feira (11), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a subordinação da Justiça à opinião pública e disse que a prática é um crime grave contra o processo democrático.
"Se um juiz quer votar de acordo com a opinião pública, que ele mesmo está ajudando a construir por meio da imprensa, pois então que largue a sua toga e vá ser deputado estadual ou federal", disse Lula.  
Segundo o ex-presidente, a única coisa que deve permear a decisão de juiz são os autos do processo, e não os interesses políticos. "Nenhum réu pode estar acima da lei, mas também nenhum juiz está acima da lei". 
Ao lado da presidenta eleita Dilma Rousseff, além de advogados, professores e estudantes da UFRJ, Lula afirmou que, caso volte à Presidência da República, irá fazer a regulação da mídia no país. "Eles têm que trabalhar muito para não deixar que eu volte a ser candidato. Porque se eu for candidato, vou ganhar e fazer a regulação dos meios de comunicação no Brasil".   
Para o ex-presidente, nenhum cidadão, mesmo sendo um juiz, tem o direito de contar mentiras a seu respeito. "Que direito tem um juiz de contar uma mentira e dizer que eu roubei? Se eles têm coragem de dizer que eu roubei, eu tenho coragem de dizer que eles talvez tenham feito coisa pior", argumentou Lula. "Se o Ministério Público e a Polícia Federal provarem um real meu que não tenha sido ganho honestamente, eu volto aqui e peço desculpas. Tenho consciência que o juiz Sérgio Moro não é mais honesto que eu. Eu não tenho que provar minha inocência, eles é que têm que provar a minha culpa", completou.  
A ex-presidenta Dilma Rousseff saiu em defesa de Lula e lembrou que o Golpe no Brasil não começou no dia 17 de abril e, sim, quando o PT derrubou o projeto neoliberal nas eleições. "Essa denúncia se dá pelos nossos acertos e não pelos nossos erros. Não há prova, não há indícios e não há base de sustentação na denúncia contra o ex-presidente. Lula é inocente", disse a presidenta eleita.
CONQUISTAS
Lula lembrou ainda as mudanças e conquistas sociais nos últimos 13 anos e disse que a elite não perdoa ao ver o pobre subindo um degrau na escala social. "O que eles não se conformam é que a gente criou um programa chamado Minha Casa, Minha Vida e deu casa própria para o povo. Eles não se conformam que nós criamos o ProUni e colocamos mais de 2 milhões de jovens na universidade. O que eles não se conformam é que nós colocamos o jovem pobre para estudar. Querem nos condenar porque fizemos 472 escolas técnicas enquanto eles só fizeram 140", lembra o ex-presidente. 

COMENTÁRIO DO DIA: Os bancos é que querem a reforma política


Fabio Assunção convida artistas para jantar com Lula no Rio

 
Segundo informa a colunista Mônica Bergamo, o ator Fábio Assunção 
convidou alguns artistas para jantarem nesta sexta-feira 11 com o 
ex-presidente Lula no Rio de Janeiro; Assunção teria dito que está 
convidando cerca de 30 pessoas para o encontro, que está sendo 
tratado com discrição.

247 – O ator Fábio Assunção convidou alguns artistas para jantarem nesta
sexta-feira 11 com o ex-presidente Lula no Rio de Janeiro, segundo informações 
da jornalista Mônica Bergamo.
A colunista da Folha diz que o encontro vem sendo tratado com discrição, e não
foi confirmado nem pela assessoria de Lula, nem pela do ator. Assunção teria
dito aos convidados que está convidando cerca de 30 pessoas.
Lula está no Rio, assim como Dilma Rousseff, para o lançamento do livro
"Comentários a Uma Sentença Anunciada", que traz mais de 100 artigos, de 120
juristas, críticos à condenação do juiz Sergio Moro contra o ex-presidente.

DE TOPETE NOVO, O PERFEITO IDIOTA AMERICANO JÁ AMEAÇA ATACAR E INVADIR A VENEZUELA


O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta sexta-feira 11 que 
considera uma "opção militar" contra a Venezuela; "Temos muitas  
opções para a Venezuela, inclusive uma opção militar se for  necessário", afirmou a jornalistas em Nova Jersey, quando questionado 
sobre a situação no país; sem dar detalhes nem confirmar a ação, Trum 
repetiu que uma opção militar é "certamente algo que podemos buscar" 
no país governado por Nicolás Maduro.

247 - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira 11
a jornalistas que considera uma "opção militar" contra a Venezuela.
"Temos muitas opções para a Venezuela, inclusive uma opção militar se for
necessário", afirmou em Nova Jersey, quando questionado sobre a situação no
país.
Sem dar detalhes nem confirmar a ação, Trump repetiu que uma opção militar é
"certamente algo que podemos buscar" no país governado por Nicolás Maduro.
O presidente norte-americano, que recentemente vem trocando ameaças com a
Coreia do Norte, destacou que "as pessoas estão sofrendo e estão morrendo" no
país da América do Sul. "Não é muito longe", lembrou ele.
Nesta quinta-feira 9, Nicolás Maduro demonstrou interesse em se reunir com
Trump. "Se está tão interessado na Venezuela, estou aqui 'mister Trump', aqui
está minha mão", disse.
"Jamais vamos nos render e responderemos a uma agressão com armas na mão",
ameaçou Maduro, chamando Trump de imperador.
___________________________________________

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

VÍDEO: Roberta Luchsinger, herdeira de banco suíço que doou R$ 500 mil a Lula, fala da trajetória de sua família no Brasil



Por Joaquim de Carvalho

Roberta: o dinheiro é dela, mas os coxinhas querem decidir como deve 
gastar.

Vista de longe, a neta do banqueiro suíço Roberta Luchsinger poderia ser 
confundida com uma batedora de panela, dessas que gravam vídeo para dizer 
“sou rica, sou rica”, têm horror a pobres e fingem se importar com eles.
 Roberta foi educada pelas melhores escolas, costuma se deslocar de helicóptero 
e recebia do avô banqueiro uma mesada de 28 mil francos suíços, o equivalente 
a 97 mil reais, segundo informa a jornalista Eliane Trindade, em sua coluna na 
Folha. 
A família de Roberta foi alvo de texto até de João Doria Júnior, que tem um faro 
especial para negócios que envolvem milionários — em 2016, em sua coluna na revista Istoé, Doria escreveu sobre uma disputa por herança na família.
Só que Roberta não é como seu pares no Brasil, meritocratas da boca para fora, 
que não largam a teta do Estado. Não é tampouco bolivariana, socialista ou 
comunista. É alguém que entendeu a importância das políticas de inclusão social 
no Brasil.
“Esse ódio exacerbado contra os partidos de esquerda, principalmente contra o 
PT, chegou ao ponto de cegar parte da sociedade. Virou moda se referir a Lula 
como ladrão”, afirmou ela à Folha.
“Esses que hoje o demonizam se esquecem de que Lula foi bom para os pobres e 
também para os ricos e deixou a Presidência com 90% de aprovação”.
Roberta é filiada ao PCdoB, partido que conheceu quando esteve casada com o 
ex-delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, que foi deputado. Mas não 
segue a cartilha marxista, como de resto o PCdoB e a maior parte dos partidos 
de esquerda — Marco Aurélio Garcia, que foi um influente conselheiro de Lula, 
já dizia que ficaria de joelhos agradecendo a Deus se, pelo menos, o Brasil se 
aproximasse da social-democracia.
O casamento de Roberta terminou de maneira rumorosa, com a declaração dela 
de que foi traída pelo ex. “Cansei de ser chifrada”, disse à Veja. Roberta, no 
entanto, soube separar as coisas e hoje continua apoiando o ex-delegado, asilado 
na Suíça por conta de uma condenação Brasil, por desvio funcional no caso da 
operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas.
Roberta também permaneceu filiada ao PCdoB, partido de Protógenes, e só 
separou depois da campanha de 2014, para não atrapalhar a campanha à 
reeleição do então marido.
Sua página no Facebook revela um pouco do que pensa. Ela postou uma 
reportagem sobre o prefeito de São Paulo e escreveu: “Doria e seu sonho de ser 
o Lula”. Crítica da Lava Jato e ironizou a notícia de que Adriana Ancelmo, depois 
de presa, se separaria do ex-governador Sérgio Cabral: “Acabou a mamata, 
acabou o amor… será que algum dia ele existiu?” Chamou o impeachment pelo 
que é: golpe.
Na rede, não deixa de falar de suas preferências pessoais, como vestido de 
casamento e música.
Roberta namorou o ex-prefeito de Jaguariúna, depois da separação de 
Protógenes, se preparou para desfilar em escola de samba e planejou escrever 
um livro para dar dicas de gastronomia para quem quer emagrecer – ela disse 
que perdeu mais de 30 quilos mudança de hábitos alimentares.
Aos 32 anos, Roberta, no campo pessoal, tem sonhos e planos como toda mulher 
da sua idade. O que a difere é a sensibilidade social. Depois que anunciou que 
doaria 500 mil reais a Lula e sugeriu uma vaquinha, foi criticada por gente que 
acredita pertencer ao mesmo mundo que ela.
“Que tal doar para mim também? Perdi quase tudo que meu suor conquistou 
com as trapalhadas dos socialistas. Aceito $ 100.000,00. Já ajuda”, escreveu um 
deles na rede social. Os outros vão na mesma linha. São provavelmente da 
mesma massa que se informa pelo Jornal Nacional e não entenderam nada sobre 
o que foi governo Lula nem sobre os propósitos de Roberta.
Roberta acredita que, com o golpe que derrubou Dilma, o Brasil foi na 
contramão da história e isso é ruim para os negócios. Para ela, o país precisa 
reduzir a desigualdade social para crescer e não cortar direitos sociais, que, no 
curto prazo, beneficiam apenas uma parcela muito pequena da sociedade.
“Independentemente de (Lula) ser ou não candidato, este dinheiro vai permitir a 
Lula sair pelo Brasil espalhando esperança. Não podemos perder a crença na 
política. Precisamos de união”, disse.
Os críticos de Roberta, seguidores do Pato da Fiesp, se comportam como os 
brancos pobres da época em que a sociedade ainda era escravocrata. Repetem o 
que ouvem e acham que são ricos. Não passam de massa de manobra de uns 
poucos brasileiros. Quem conhece a riqueza sabe que, até para explorar, o Brasil 
precisa de inclusão social, e não o contrário.

Globo tem 24 horas para explicar por que não divulgou resposta de Lula no Fantástico


Juiz Gustavo Dall'Olio, da 8ª Vara Cível de São Bernardo do Campo, 
determinou nesta quarta-feira, 10, um prazo de 24 horas para que a 
Globo explique por que não divulgou a resposta do ex-presidente Lula 
sobre reportagem do Fantástico sobre a sentença do juiz Sérgio Moro 
que condenou Lula a 9 anos de prisão; "Corporificado o interesse
processual, porque há prova do recebimento do pedido de resposta pelo 
veículo de comunicação, cite-se Globo Comunicação e Participações S/A 
para que, (i) em 24 horas, apresente as razões pelas quais não o 
divulgou, publicou ou transmitiu", disse o magistrado na sentença; Lula 
classificou reportagem como uma "peça de propaganda"; reportagem 
"ignora lacunas na sentença do juiz de primeira instância, distorce ou 
ignora a natureza de documentos apresentados pela defesa bem como a 
opinião de juristas que apontam falhas na decisão", disse Lula sobre o 
jornalismo de guerra da Globo

247 - O juiz Gustavo Dall'Olio, da 8ª Vara Cível de São Bernardo do Campo, determinou nesta quarta-feira, 10, que a Globo tem um prazo de 24 horas para explicar por que não divulgou a resposta do ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva sobre reportagem exibida pelo Fantástico sobre a sentença do juiz Sérgio Moro que condenou Lula a 9 anos de prisão.
"Corporificado o interesse processual, porque há prova do recebimento do pedido de resposta pelo veículo de comunicação, cite-se Globo Comunicação e Participações S/A para que, (i) em 24 horas, apresente as razões pelas quais não o divulgou, publicou ou transmitiu; e, (ii) em três dias, ofereça contestação. Findo o prazo de 24 horas, com ou sem manifestação do responsável pelo veículo de comunicação, tomem-me conclusos", proferiu o magistrado em sua decisão desta quinta-feira, 10.
Em nota no último dia 17, Lula diz que a reportagem do Fantástico tentou provar, ao longo de 13 minutos, que a sentença de Moro contra Lula faria sentido. "A matéria do Fantástico no último domingo sobre a sentença do juiz Sérgio Moro é
uma peça de propaganda, não de jornalismo, muito menos de análise de uma sentença", diz texto publicado no site do ex-presidente Lula.
A reportagem "ignora lacunas na sentença do juiz de primeira instância, distorce ou ignora a natureza de documentos apresentados pela defesa bem como a opinião de juristas que apontam falhas na decisão", diz o ex-presidente (leia mais).

NÂO PERCA !!! Sala do Zé entrevista Ciro Gomes


Juízes contratam Personal Treiner com seu dinheiro


Bolt que se cuide!

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, com sede em Salvador (BA), abriu
edital para a contratação de personal trainers para os seus magistrados.
(Afinal, os salários de juízes no Brasil são baixíssimos, como o amigo navegante
bem sabe e, por isso, o TRT precisa utilizar o SEU dinheiro).
Qualquer internauta pode acessar a página com o edital. Basta clicar aqui.
No resumo da licitação, ressalta-se que a ideia é preparar os magistrados para a
importantíssima Olimpíada da Justiça do Trabalho, com modalidades como
atletismo e caminhada ecológica anual (vão convidar a Fadinha da Floresta?)
I-n-a-c-r-e-d-i-t-á-v-e-l!
A abertura das propostas acontecerá no dia 22 de agosto, às 11h.
O Blog sugere, também, que seja aberto um edital para a contratação de
nutricionistas para os juízes. Afinal, toda preparação é pouca para a
mundialmente prestigiada Olimpíada da Justiça do Trabalho.
___________________________________________

Carta aberta aos Ministros do Supremo


Luis Nassif
O jogo da Lava Jato está decidido. No caso dos inquéritos e processos da primeira fase – contra o PT e o PMDB – dê-se continuidade e abram-se quantas representações forem possíveis com base em qualquer tipo de indício – como demonstrou ontem a 11a Vara Federal do Distrito Federal.
Em relação à fase tucana, duas formas de anulação.
Na fase dos inquéritos, direcionamento para Policiais Federais do grupo de Aécio Neves.
No âmbito do Supremo, a distribuição dos inquéritos e processos para o Ministro Gilmar Mendes, através da inacreditável coincidência de sorteios,
Depois dos processos de Aécio Neves, José Serra e Aloysio Nunes, hoje Gilmar acabou sorteado para relatar também o do senador Cássio Cunha Lima.
É uma sucessão de coincidências.
E vamos falar um pouco de escândalos e da capacidade de gerar indignação.
Escândalo é uma das formas de controle da sociedade sobre autoridades, desde que gere indignação. A maneira de reagir ao escândalo, de avaliar objetivamente o escândalo, mostra o grau de desenvolvimento de uma sociedade e, especialmente, da sua mídia.  Em sociedades permissivas, os escândalos produzem pouca indignação.
Quando se cria um escândalo em torno da compra de uma tapioca com cartão corporativo e se cala ante o fato de um presidente ser denunciado por crimes e se manter no cargo, algo está errado, como observou recentemente Herta Däubler-Gmelin, que ocupou o cargo de ministra da Justiça na Alemanha entre 1998 e 2002. Ela lembrou o caso do presidente Christian Wulff, que renunciou devido a um depósito de 700 euros em sua conta.
Por aqui, há tempos a mídia aprendeu a conviver com o escândalo seletivo e fugir dos escândalos essenciais. Com isso, um dos freios centrais de uma democracia, contra abusos de autoridades  – as reações públicas a atitudes escandalosas – perde a eficácia.
Só um notável entorpecimento moral para explicar a falta de reações dos Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) às atitudes de Gilmar Mendes.
Tanto no STF quanto no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é idêntica a (não) reação a Gilmar. Para não ter que enfrentá-lo, colegas inventaram o álibi da excentricidade. Ele é excêntrico, ninguém leva a sério, logo a melhor política é ignorá-lo.
Pessoal, não dá mais! Esse álibi para a não-ação não cola.
Admitir que um Ministro do STF fale o que Gilmar falou sobre o Procurador Geral da República, aceitar que ele visite um presidente da República que está sendo processado e o aconselhe, a sucessão de processos sorteados para ele, os patrocínios aos seus eventos por corporações com pleitos no Supremo, é de responsabilidade pessoal de cada Ministro do Supremo.
Não há biografia que resista, por mais elaborada que seja, à tolerância a um Gilmar. Cada vez que Gilmar extrapola, e Celso de Mello se cala, o silêncio não é um grito, nem solidariedade corporativa: é sinal de medo, de falta de solidariedade e respeito para com o país, porque é o país que sai humilhado e se rebaixa ao nível das nações onde impere a ausência de qualquer regramento. E não se compreende um Ministro indicado para a mais alta corte do país, que não saia em defesa dela, quando exposta a atos que a desmoralizam.
Celso de Mello tem medo, assim como Marco Aurélio de Mello, Ricardo Lewandowski, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, a presidente Carmen Lúcia,  Luiz Fux, Dias Toffoli, Alexandre de Moraes, Rosa Weber.  E não adianta tirar o corpo: Gilmar desmoraliza todo um país, mas é um problema do STF e de responsabilidade individual de cada um dos Ministros, porque os únicos em condições de contê-lo.
Com esse silêncio ensurdecedor, o que fazer?
Vocês, senhores Ministros, obrigam pessoas sem nenhum poder de Estado, a externar em um blog a indignação ante a falta de reação aos abusos e de desrespeito ao país, ficando exposto a processos e retaliações de Gilmar. Nós estamos pagando, com as ações abertas por Gilmar, para cumprir uma tarefa que deveria ser dos senhores.
Esperamos que, passada a fase do espanto ante Gilmar, possa se esperar dos senhores uma atitude à altura do poder que representam e do país que deve merecer seu respeito.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

"MINEIRINHO" INDICOU DELEGADO QUE O ABSOLVEU EM FURNAS


E o Dimas, cadê o Dimas? O inquérito que absolveu Aécio se esqueceu  do personagem principal
Dimas Toledo costumava de se
vangloriar de ter mais de cem
deputados no bolso. Durante anos e
anos foi o principal operador de
Furnas. Eram públicas suas relações
com Aécio Neves e outros políticos.
 No inquérito, menciona a existência 
de enorme quantidade de documentos, 
que levaram à reabertura do inquérito 
contra Aécio, e não menciona nenhum. 
Limita-se a indicar os depoimentos que livrariam Aécio, dentre os quais os de 
Lula, José Dirceu e Silvinho Pereira, de que Dimas não teria sido nomeado por 
influência de Aécio. E também do filho do dono da Bauruense, afirmando que o 
pai nunca lhe mencionara o nome de Aécio. Bauruense teria sido a empresa 
através do qual se lavava o dinheiro de Furnas para Aécio.
 Foi uma beleza de inquérito amigo, sem nenhuma condução coercitiva, 
nenhuma menção a depoimento de Dimas.
Dimas Toledo seria uma síntese de Paulo Roberto Costa com Alberto Yousseff. 
Mantinha o cargo em Furnas e providenciava a lavagem de dinheiro com 
fornecedores. Não há sequer fotos atualizadas dele.
 No inquérito, assinado pelo delegado Alex Levi Bersan de Rezende, não há 
nenhuma menção às contas de Aécio em Liechenstein, nenhum rastreamento 
das contas da Bauruense, nenhuma apreensão de documentos da empresa no 
período em que os pagamentos supostamente teriam sido feitos.
 Alex serviu muito tempo à PF em Minas Gerias. Por lá, a cada mês a PF divulga 
um escândalo novo ou requentado contra o governador Fernando Pimentel, 
baseada exclusivamente em delações sem provas de um ex-marqueteiro.
 O que comprova que os deuses beneficiaram Aécio não apenas interferindo na 
roleta dos sorteios do Supremo, mas também na escolha dos delegados.

O RETORNO DO ABARÉ !!! AGORA É A UFOPA QUE VAI TOCAR O BARCO



Uma cerimônia na manhã desta quinta-feira (10), a bordo do navio, 
 marcou a assinatura do termo de doação para a UFOPA da Unidade 
Fluvial do programa da Saude da familia Barco Abaré 1.

Em Cerimônia Oficial
realizada em Santarém na
Beira do Rio Tapajos, a
Universidade Federal do
Oeste do Pará (Ufopa)
passou a assumir, de forma
definitiva, a gestão do navio-
hospital Abaré I, que presta
atendimentos de saúde
gratuitos a centenas de
famílias em comunidades
tradicionais e ribeirinhas de
Santarém, Belterra e Aveiro,
no oeste do Pará. 
"Há 5 anos espero por 
 esse convite. E por esse 
 dia, que até me obrigou 
a parar de fumar pra pagar promessa ao Ministro da Saúde na época, 
 Alexandre Padilha" declarou o Coordenador do Projeto Saúde e Alegria.
Nesse 10 de agosto, com o repasse do Abaré à Ufopa - Universidade Federal do 
Oeste do Pará, o barco premiado que inspirou uma política pública nacional de
atenção básica se torna definitivamente um patrimônio a serviço do povo do
região - isso depois de muitos percalços no caminho, ameaças de retirada,
processos na justiça...
Espera-se que a partir de agora os serviços assistenciais possam ser 
 revitalizados com a regularidade e qualidade de antes, principal cobrança dos 
ribeirinhos. "A Ufopa instalará um Conselho Gestor formado por representantes 
da Universidade, das Prefeituras [Santarém, Belterra e Aveiro], dos Governos do 
Estado e Federal, dos Ministérios Públicos, das Organizações e outros Órgãos de 
Ensino parceiros que conduzirão a política de uso desta embarcação” - reforça a 
reitora Raimunda Monteiro [https://goo.gl/1bCkKf].
 

Através dessa soma de esforços, mais um sonho tem tudo pra se realizar. O 
Abaré poderá ampliar seu papel social para além dos atendimentos, na forma tb 
de um Barco-Escola, como unidade de extensão e pesquisa, receptivo de 
estudantes, residentes, voluntários, ... articulado tb com outras Universidades 
(UEPA, USP,...), enfim, um centro de referencia, formação e laboratório de boas 
práticas pra disseminá-las junto às demais Unidades Básicas de Saúde Fluvial 
(UBSF) na Amazônia. Aliás, desde que nosso modelo virou política pública para 
áreas remotas da Amazônia, já são mais de 60 barcos de saúde espalhados pela 
região, filhos desta experiência que iniciamos lá atras, no Tapajós.
 
A partir da sua integração ao SUS em 2011, repassamos a gestão plena às 
Prefeituras, parceiras desde o início do Abaré. Lideradas por Santarém, 
começaram a receber através da nova política financiamentos diretos do 
Ministério da Saúde (MS) - atualmente algo próximo de R$ 1 milhão/ano 
exclusivo para embarcação. Com a diversificação dos serviços e implantação de 
novos programas (Barco-Escola, Bolsas, Mais Médicos, etc), novos aportes 
poderão entrar pra complementar o custeio e sustentar as operações no seu 
conjunto. Apesar de toda crise que o país atravessa, há luz no fim do túnel.

 

O desafio, portanto, está na gestão. Nesse sentido, a UFOPA acerta ao priorizar 
uma política de parcerias que, alem dos entes públicos, mobiliza outras 
organizações afins que também podem trazer recursos adicionais. Como já dito 
antes, o Projeto Saúde e Alegria (PSA) não tem interesse em voltar a gerir a 
Unidade, nem substituir o Estado, o que seria um retrocesso depois da nova 
política pública que ajudou a criar. Mas se coloca a disposição pra somar 
esforços através de ações complementares, articulando os seus projetos em 
andamento (educação comunitária, campanhas preventivas, apoio ao controle 
social, ao saneamento, etc) que já acontecem nas comunidades. Nesse sentido, 
aceitamos motivados o convite feito pela Universidade pra compor o Conselho 
Gestor, esperando tb colegas de outras organizações, pra que todos juntos 
voltem a colocar o Tapajos como polo difusor de referências em saúde ribeirinha 
para Amazonia.
Parabéns UFOPA, Prefeituras de Santarém, Belterra, Aveiro, Conselhos 
Municipais, Ministério Público, MS... e principalmente os ribeirinhos do Tapajós 
por mais essa conquista e lição que nos deixa: de que jamais podemos desistir.
Vida longa ao Abaré!
________________________________________

Golpistas usam Venezuela para Brasil esquecer a crise


Jornalista, apresentador do Bom Dia Brasil, Chico Pinheiro, da Globo, 
explica a ‘crise na Venezuela’ para comedores de alfafa. O Jornalista 
postou uma charge em que um burguês [ou seria Michel Temer?] 
aponta para o trabalhador dizendo “Olha a Venezuela”, ,  enquanto 
mete a mão no bolso do desavisado; O post "é um ‘tapa na cara’ 
daqueles que ficam a gritar ‘Fora Maduro, Fora Maduro’ ao passo que o 
Estado Social vai sendo desmontado no Brasil".

Beira o insuportável a ladainha sobre a
Venezuela. Aliás, insuportável não é
bem a palavra; indignante seria
melhor.
As redes sociais estão coalhadas de
fascistas que defendem violência
policial e repressão a manifestações
de esquerda choramingando “cem
mortes” que teriam sido causadas pela
repressão do governo de Nicolás Maduro.
Em primeiro lugar, é preciso deixar claro que é mentira que todos os mortos nos
recentes choques na Venezuela sejam todos causados pelo governo. O que
acontece na Venezuela decorre de uma estratégia da oposição para gerar o caos
e produzir vítimas dos dois lados
As histórias que relacionam as mortes de venezuelanos a repressão por parte
das forças de segurança do país vizinho são os principais elementos da
campanha midiática contra o governo.
Desde abril, governo e oposição dividem a culpa pela onda de violência. A
verdade, porém, é que por trás das fatalidades há circunstâncias variadas que
são todas debitadas ao governo de Nicolás Maduro.
_____________________________________________________

VÍDEO: Doria “não tem nada na cabeça”, é mau caráter e trai Alckmin, diz Ciro Gomes no “Pânico”







DISTRITÃO NA CALADA DA NOITE É TENTATIVA DOS CORRUPTOS PARA SOBREVIVER EM 2018


“Distritão” destrói partidos, anula votos, impede renovação. Não passará
 
Agência Brasil

A comissão especial da Câmara que analisa a reforma política aprovou na madrugada de hoje (10) um destaque que modificou o texto-base aprovado na noite de ontem (9) da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03 e alterou o sistema eleitoral para as eleições de 2018 e 2020, que passará a ser feita pelo chamado distritão. Por esse sistema, serão eleitos os candidatos mais votados para o Legislativo, sem levar em conta os votos recebidos pelo conjunto dos candidatos do partido, como é o sistema proporcional adotado atualmente.
O texto apresentado originalmente pelo deputado Vicente Candido (PT-SP), mantinha o sistema eleitoral atual para 2018 e 2020 e estabelecia que o sistema de voto distrital misto, que combina voto majoritário e em lista preordenada, deve ser regulamentado pelo Congresso em 2019 e, se regulamentado, passa a valer para as eleições de 2022.
A mudança foi aprovada por 17 votos a 15, em destaque do PMDB, com apoio das bancadas do DEM, do PSDB, do PSD e do PP e o distritão seria um modelo de transição ao distrital misto, que valeria a partir de 2022, mantendo a necessidade de regulamentação pelo Congresso.
“Nós precisamos de um tempo para montar a distribuição dos distritos no Brasil. E o ‘distritão’ caminha para esse novo sistema, quebrando com o sistema proporcional que gerou um desgaste enorme até hoje”, disse o deputado Celso Pansera (PMDB-RJ).
O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) considera a mudança de modelo na votação para o Legislativo essencial. “O modelo atual está esgotado. Não dá para fingir que está tudo bem e continuar com o sistema atual, vamos de ‘distritão’ na transição para um sistema misto mais elaborado e transparente a partir de 2022”, disse.
Oposição
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) considerou o distritão “um modelo elitista, no qual prepondera a presença individual, quando o Parlamento é, por natureza, coletivo na sua atribuição”.
O líder da Rede, deputado Alessandro Molon (RJ), argumentou que nada impede que a transição seja o modelo proporcional. “Não é verdade que adotar o distritão seja uma transição, o maior risco é que se torne permanente com a eleição de um Congresso em 2018 completamente diferente do atual e que dificilmente vai regulamentar o distrital misto”, disse.
O presidente da comissão que analisa a proposta, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), adiou a votação dos destaques de bancada que ainda não foram analisados para as 10 h desta quinta-feira.

CONTAS DE "LULA" E "DILMA" NO EXTERIOR ... SÃO DE .... JOESLEY

 
O procurador federal Ivan Cláudio Marx afirmou que a versão do 
empresário Joesley Batista, da JBS, de que havia contas no exterior para 
pagamentos de propina a Lula e Dilma é "incomprovável"; "A história 
dele é incomprovável. Pedimos documentos para comprovar, e não veio 
nada", declarou; Joesley fez a declaração em sua delação premiada no 
âmbito da Lava Jato, quando contou que as supostas contas receberam 
US$ 150 milhões, depositados pela companhia; "Ele diz que as contas 
teriam recursos em favor dos ex-presidentes, mas as contas estavam em 
nome do próprio Joesley. Era ele quem operava as contas", 
completou Marx.

247 - A tese contada pelo empresário Joesley Batista de que o ex-presidente Luiz
Inácio Lula da Silva e a presidente deposta Dilma Rousseff tinham contas no
exterior para recebimento de propina é "incomprovável", diz o procurador
federal Ivan Cláudio Marx.
A história dele é incomprovável. Pedimos documentos para comprovar, e não
veio nada", declarou o procurador, sobre a história contada por Joesley em sua
delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.  Joesley revelou em seus
depoimentos que as supostas contas receberam US$ 150 milhões em propina,
depositadas pela companhia, e que já não tinham mais dinheiro, todo gasto
pelos ex-presidentes petistas, segundo ele.  "Ele diz que as contas teriam
recursos em favor dos ex-presidentes, mas as contas estavam em nome do
próprio Joesley.
Era ele quem operava as contas", completou o procurador. Segundo reportagem 
de Leandro Prazeres, no UOL, a defesa de Joesley nega que o empresário tenha
mentido.

RIDICULIZANDO OS BRASILEIROS "ESPECIALISTAS" EM VENEZUELA



Novo vídeo do programa "Fala, Rovai", feito pelo editor da revista 
Fórum, questiona o fato de muitos brasileiros terem começado a dar 
pitaco sobre a Venezuela, mesmo sem qualquer profundidade ou 
conhecimento sobre a realidade local.

OS "SORTEIOS" DO SUPREMO TRIBUNAL .... QUA..QUA..QUA...

 


Nesses tempos de pós-verdade, há uma tempestade de teorias conspiratórias circulando pelo mercado. Uma delas é a respeito dos sorteios de relatoria no STF (Supremo Tribunal Federal), a enorme coincidência de processos fundamentais caírem com o Ministro Gilmar Mendes.
É um exemplo de como um conjunto de coincidências abre espaço para que mentes conspiratórias elucubrem à vontade.

Peça 1 – as coincidências

A primeira peça do nosso xadrez são as coincidências mencionadas.

2 de outubro de 2014

Direito de resposta do PT contra a revista Veja, às vésperas das eleições presidenciais.
Cai com Gilmar que obviamente nega.

13 de novembro de 2014

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Dias Toffoli, quatorze horas depois do final do mandato do Ministro Henrique Neves, decide distribuir seus processos, sem aguardar a nova indicação pela presidente da República. Dentre milhares de processos, dois centrais – sobre a prestação de contas do PT e de Dilma – caem com Gilmar. Segundo o post do GGN “entre 7 juízes do TSE, a probabilidade dos dois principais processos de Neves caírem com Gilmar é de 2 para 100. Há todos os sinais de um arranjo montado por Toffoli”.

3 de dezembro de 2015

O PT entrou com recurso questionando a abertura do processo de impeachment. O recurso foi sorteado e caiu para Gilmar Mendes. Após o sorteio, o PT desistiu por não ver nenhuma possibilidade de conseguir algum voto favorável de Gilmar, em qualquer matéria. Gilmar reagiu e pretendeu penalizar o PT pela desistência, fazendo uma candente defesa do juiz natural (aquele que é sorteado de forma imparcial): “Ninguém pode escolher seu juiz de acordo com sua conveniência, razão pela qual tal prática deve ser combatida severamente por esta corte, de acordo com os preceitos legais pertinentes”.

17 de março de 2016

Relatoria do HC para impedir a posse de Lula. Caiu com Gilmar Mendes. Que obviamente concedeu e suspendeu a nomeação de Lula como Ministro-Chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, última tentativa do governo para segurar o golpe. Aproveitou para taxar o PT de organização criminosa.

11 de maio de 2016

Inquérito 4246 contra Aécio Neves, em função da delação do ex-senador Delcídio do Amaral. O inquérito foi protocolado em 03/05/2016, distribuído por prevenção ao Ministro Teori Zavascki e no dia 11 de maio de 2016 sorteado para Gilmar Mendes. Inquérito 4244, também contra Aécio Neves. Da mesma maneira, caiu por prevenção para Teori e no mesmo dia 11 de maio foi redistribuído por sorteio para Gilmar Mendes.

27 de junho de 2017

Inquérito 4428, contra José Serra e Aloysio Nunes, em função da delação da Odebrecht. Em 16 de março de 2017. Inicialmente foi para Edson Facchin, por prevenção. No dia 27 de junho de 2017 é redistribuído para Gilmar Mendes.

23 de junho de 2017

Relatoria de novos inquéritos contra Aécio Neves. O sorteio entrega o caso a Gilmar.

Peça 2 – a construção da narrativa

A primeira conclusão é que, de fato, foram coincidências. Afinal, seria inimaginável supor que os sorteios do STF pudessem ser manipulados por quem quer que seja.
Mas imagine que, mesmo assim, houvesse uma investigação, só para sanar as suspeitas. O primeiro passo do nosso inspetor Clouseau seria investigar o algoritmo que comanda os sorteios.
O algoritmo leva em conta a quantidade de ações distribuídas aos Ministros no período, separadas por classe de ação. A compensação não é sequencial. Desse modo, pode ocorrer a distribuição de mais de uma classe de ação para o mesmo ministro.
Haveria três maneiras de direcionar os processos:
Maneira 1 - Uma das hipóteses que aventei aqui seria o Supremo ter uma espécie de especialista em algoritmo, que analisaria antecipadamente as probabilidades de cada sorteio, de maneira a saber em qual rodada o inquérito x cairia com o ministro y.
Maneira 2 - a manipulação ocorreria se o responsável pela distribuição tiver acesso ao
algoritmo da distribuição. Algo fácil de comprovar pois o acesso fica registrado.
Maneira 3 – um especialista desenvolver um sistema que ficasse de fora do algoritmo, mas que permitisse incluir o(s) nome(s) dos Ministros a serem sorteados. Ou seja, o único ponto de contato seria a área de alimentação de nomes. E seria suficientemente flexível para permitir colocar apenas UM ministro no sorteio.
Das três possibilidades, a mais eficiente seria a 3.
No caso da Maneira 1, envolveria muitas pessoas, até o presidente do STF, responsável pela distribuição dos casos. Inviável.
Na Maneira 2, haveria vestígios das interferências a não ser que... se valesse da Maneira 3.
Um superespecialista criaria uma camada acima do algoritmo, para poder incluir o nome que quisesse no sorteio.

Peça 3 – as investigações iniciais

Obviamente, esse Xadrez é uma enorme peça de ficção, porque não se pode imaginar esse tipo de golpe sendo aplicado na mais alta corte. Apenas como livre-pensar, vejamos como se comportaria nosso Inspetor Clouseau.
As primeiras pessoas a procurar seriam os responsáveis pela informatização do STF e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde as coincidências foram mais ostensivas.
Imediatamente, saltariam à vista dois dos maiores craques do setor.
O primeiro, é Paulo Bhering Camarão, homem responsável pela implantação das urnas eletrônicas e figura-chave na informatização do Judiciário, além de fazer parte do grupo que implantou o Infojus, a primeira intranet do Judiciário.
Também fazia parte desse grupo nosso segundo personagem, Leonardo Alam da Costa, responsável pela informática do STF.
Ambos são técnicos renomados e personagens polêmicos.
Camarão foi um dos responsáveis pela implantação da urna eletrônica. Ficou por quase dez anos como Secretário de Informática do TSE. Em 2006 contratou uma empresa, a Probank, para serviços junto às urnas nas eleições. A Probank tinha um histórico de rolos não explicados. Em 2004 conseguiu vencer a Embratel em uma licitação para fornecer serviços temporários para todo o país, nas eleições. Apesar de estar presente em todos os estados, a Embratel não teria conseguido comprovar a capacidade de fornecer os trabalhadores, segundo a comissão de licitação.
No mesmo ano, Camarão tornou-se proprietário da Probank que, depois, acabou vendida para Wilson Brumer, ex-Secretário de Desenvolvimento Econômico no governo Aécio Neves e um dos arrecadadores de suas campanhas. Ex-presidente da Usiminas, o que Brumer tinha a ver com a área?
A empresa pediu falência. Assumiu outra, a Engetec, que, depois, constatou-se que mantinha relações administrativas com a Probank. Em 2012 a Probank venceu uma licitação do TSE de R$ 129 milhões, colocada sob suspeita. Aqui, se tem uma ampla reportagem do GGN, de autoria da repórter Patricia Faerman.
O nome da empresa voltou a ser ventilado apenas este ano, como um dos pontos de lavagem dos pagamentos da Andrade Gutierrez a Romero Jucá.
Igualmente polêmico é Leonardo Alam, até hoje responsável pela área de informática do Supremo. Em 2015 foi alvo de uma sindicância aberta pelo presidente do STJ, ministro Francisco Falcão, acusado de compras superfaturadas. No início do ano, o escândalo voltou à tona e seu nome aparece na qualidade de Secretário de Tecnologia de Informação do STJ. Os acusados alegam inocência. Diversos Ministros atribuíram a denúncia à revanche de Falcão contra seu antecessor.

Peça 4 – os coronéis da SEI e o voto eletrônico

Nosso inspetor precisaria dedicar um bom tempo para apurar mais sobre os sistemas informatizados do Poder Judiciário.
A maior parte dos quadros veio da comunidade de informática dos anos 70. A comunidade era formada por servidores do Serpro, acadêmicos e, principalmente, os coronéis da SEI (Secretaria Especial de Informática) e oficiais da Marinha, a força que mais investia em informática.
A SEI ficou ligada diretamente à presidência da República (João Baptista Figueiredo) e nela entraram vários coronéis, como Joubert Brízida de Oliveira, Edson Dytz, Ezil Veiga da Rocha.
Assim que assumiu o Ministério da Justiça, aliás, o Ministro Márcio Thomas Bastos me chamou a Brasília para pedir dicas sobre a informatização do Judiciário – eu tinha escrito sobre o tema na minha coluna da Folha.
Sugerimos a ele um levantamento dos melhores sistemas em vigor no país. Depois, convidar os desenvolvedores, ligados aos tribunais, para montar um grupo de trabalho e desenvolver o sistema em software livre. Era nítido o enorme lobby da Microsoft e da Oracle para vender seus softwares. Mostramos a Márcio que a parte mais relevante era o conhecimento acumulado dos técnicos, não o software utilizado. Esse sistema, em software livre, ficaria em nuvem e seria disponibilizado para qualquer tribunal que resolvesse aderir à informatização.
Na segunda reunião, o represente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) foi justamente o coronel Ditz. A proposta emperrou no STJ e não foi mais adiante.  Ditz foi sogro do então jovem deputado Eduardo Cunha, avô de uma filha de Cunha, mas não tem nenhuma relação com os malfeitos do ex-genro.
De qualquer forma, esses coronéis egressos da SEI mantinham os laços profissionais e de amizade, mas sem nenhuma relação maior com as Forças Armadas.
O que chamou a atenção do GGN foi o empresário que comprou a Módulo Systems.
Especializada em segurança, a Módulo foi uma das desenvolvedoras da urna eletrônica. Tempos atrás foi adquirida por Sérgio Schiler Thompson Flores, parente do presidente do TRF4, e de uma família com ligações históricas com militares.
Ex-diplomata, Thompson Flores enriqueceu na privatização, em sociedade com Felipe Reichstull, ex-presidente da Petrobras. Depois, meteu-se no setor privado, em rolos enormes tentando adquirir a Gazeta Mercantil, depois montando um fundo na Bolsa da Inglaterra para investir em usinas de álcool. Quebrou e reapareceu como proprietário da Módulo.
 As dúvidas sobre as reais intenções de Thompson Flores foram apresentadas aqui em artigo de outubro de 2014, quando apareceram dúvidas sobre a segurança das urnas eletrônicas.
Recentemente, na operação da Polícia Federal que estourou o esquema de caixinhas da Fetranspor, do Rio, ficou-se sabendo que a Módulo tinha a função de auditar as vendas de passagens para calcular o valor do subsídio a ser pago pela prefeitura.

Peça 5 – os fantasmas dos códigos fechados

Pode ser que no meio dessa piração conspiratória, o nosso Clouseau venha a tomar conhecimento dos alertas que estão sendo feitos por especialistas, a respeito dos riscos de manipulação nos códigos de software não auditados.
Poderia ser um artigo de 6 de fevereiro de 2017 do especialista Ronaldo Lemos: “Falta auditabilidade no algoritmo do Supremo”.
Diz Ronaldo Lemos:
“Em 1999, um professor da Universidade Harvard, Lawrence Lessig, um caro amigo, lançou o livro que é considerado pioneiro no estudo do direito aplicado à internet (chamado "O Código e Outras Leis do Ciberespaço"). Nele foi cunhada uma famosa frase que diz que "o código é a lei".
Lessig chamava a atenção para o fato de que programas de computador ("códigos") são cada vez mais responsáveis por embutir neles regras que regulam o destino de milhões de pessoas, todos os dias.
(...) Basta olhar para o sorteio eletrônico do ministro Edson Fachin como novo relator da Lava Jato no Supremo para ver que Lessig tinha razão. O caminho para a escolha de qual ministro do STF será responsável por um processo é definido por um programa de computador que opera com base em algoritmo. Só que há um problema: ninguém sabe como esse algoritmo funciona.
(...) Para ter certeza de que o algoritmo do Supremo funciona como deveria, sem interferências externas, é fundamental que tanto seu código quanto seu hardware sejam conhecidos, transparentes e auditáveis.
Nada disso acontece hoje. Há, aliás, suspeitas de que o algoritmo não seja tão simples assim. Ele seria "calibrado", por exemplo, para distribuir processos de modo a equiparar a carga de trabalho de cada ministro. Não há informações públicas confirmando ou negando isso. Também não se sabe em que termos essa suposta calibragem aconteceria.
(...) Em seu livro paradigmático, Lessig apontou que um dos desafios de embarcar normas em códigos é que eles são escritos em linguagem que não é compreensível para a maioria das pessoas. Essa opacidade poderia ser chamariz para a corrupção. Por essa razão, mais do que nunca, é hora de jogar transparência e inteligência pública sobre os códigos que regem o país”.
Aí, talvez essa história da teoria da conspiração caísse para um campo mais real. E os bravos procuradores da República ganhassem coragem para investigar as suspeitas e ouvir técnicos do STF e do TSE. Vá que eles tenham boas informações para dar.
E, para que não pairassem dúvidas sobre a isenção do Supremo, a presidente Carmen Lúcia autorizaria uma auditoria no tal algoritmo e entregaria todos os resultados dos sorteios dos últimos anos a uma análise probabilística feita por especialistas.
Doutores da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) se dispõem a fazer o estudo sem custos para o Supremo.
________________________________________

BARBICHA WONDERFUL



 Por Fernando Brito


Enquanto aguarda-se o protesto do procurador Deltan Dallagnol contra a visita
 noturna de sua futura chefe, Raquel Dodge, no Palácio do Jaburu – onde,
segundo a CBN, ficou das 22 às 23 horas – apenas para transferir da tarde para
a manhã a sua cerimônia de posse – dou notícia das andanças do outro
protagonista da lava Jato, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.  Ele
vai deixar de lado sua dura rotina de entrevistas e postagens atacando os
políticos e vai a São Paulo, segunda-feira, dar palestra ao lado de representantes
de empresas investigadas – entre elas a Siemens (Trensalão) e a Camargo
Correira (Lava Jato) que ficaram “boazinhas”, depois de sua conversão à
honestidade.
É um seminário sobre “compliance”, um ramo de negócios de controladoria
empresarial que está crescendo e lucrando como nunca, onde ele vai ”
apresentar um balanço das operações (e seu) desdobramento nas corporações”
empresariais.
Não há a menor dúvida que Lima será recebido efusivamente.
Afinal, o encontro é promovido pela Câmara de Comércio EUA-Brasil, a Amcham.
Lava Jato is wonderful!
_____________________________________

POSTIÇO TOMA VAIA ATÉ EM ENCONTRO DE EMPRESARIOS - ASSISTA



No encerramento do encontro de exportadores realizado no Rio, Michel
Temer ganhou uns poucos aplausos – dá para ouvir, nitidamente, as palmas de
Marcello Crivella – e umas boas vaias. Isso em ambiente fechado, com entrada
controlada.
Se descer à rua,  os ovos do João Dória vão ser pinto.
 Ou pato.

Contra Lula, inquérito reaberto. Contra Aécio, arquivado

2pesos

Por
 
Nos sites dos jornalões, de um jeito que até a eles envergonha:
 MPF desarquiva inquérito contra Lula por caso ligado ao mensalão
E, ao mesmo tempo:
 Relatório da PF isenta Aécio de propinas e uso de influência em Furnas

Lula, talvez, venha a ser condenado por ter um celular da Oi. Ou, se não tiver,
por usar um.Aécio não tem nada a ver com o pai ter estado no conselho de
Furnas.
Nem com Alberto Youssef dizer que ele tinha uma mesada na empresa.
A PF, o MP e a Justiça só se interessam por quem interessa,
O resto não vem ao caso.
________________________________________